Como analisar o jogo de futebol em sua máxima complexidade?

Por: Roberto Augusto

Postado

-

Atualizado em

Complexo, por quê?

Um jogo oficial de Futebol é disputado simultaneamente por 22 atletas. Com o aumento do número de substituições devido a pandemia, esse número pode ser 32. O jogo também possui em média um espaço limitado de 7140m² (105 de comprimento por 68 de largura). Além disso, também há limitação temporal, 90 minutos, sem contar os acréscimos. E a limitação de conduta, através de várias regras que regem o jogo, cujo objetivo principal é ter vantagem no placar. Tudo bem, nada que vocês não saibam, mas é a partir disto que podemos falar sobre o quão complexo é este esporte.

A complexidade do jogo

Todos os atletas em campo possuem vivências, dentro e fora de campo completamente diferentes, características diferentes e personalidades diferentes. Porém durante o jogo todos precisam estar sintonizados e trabalhando conjuntamente. Isso por si só já não é algo complexo? Conseguir que pessoas tão diferentes e únicas estejam conectadas, e “falem o mesmo idioma” em prol de um objetivo comum é algo desafiador.

Ainda temos as inúmeras interações apresentadas durante a partida, sejam elas individuais, setoriais, intersetoriais ou coletivas, com e sem bola, de oposição, entre adversários, e cooperação entre companheiros. Isso tudo acontece simultaneamente em diferentes setores do campo e em distintas dimensões (física, técnica, tática e psicológica).

Dessa forma, podemos citar que o jogo de futebol não segue uma relação linear, de simples causa e efeito, onde a partir de uma ação é possível conhecer a ação posterior. Claro, por vezes podemos deduzir, mas nunca com convicção, pois existem inúmeras variáveis envolvidas na ação (climáticas, condições do gramado, etc.). Sendo assim, uma ação qualquer pode desencadear uma infinidade de diferentes ações.

O detalhe pode fazer toda a diferença

Você já deve ter escutado em algum lugar que o jogo é decidido em detalhes, não é mesmo? Pois bem, o jogo é coberto por diversas variáveis que interferem diretamente no desempenho das equipes. Sendo assim, um simples erro gestual, um posicionamento equivocado, uma desatenção, uma tomada de decisão errada, pode influenciar no resultado final. Isto é, um micro-fato pode causar uma macro-consequência, em outras palavras, algo à primeira vista sem tanta significância pode influenciar no resultado final da partida.

Fonte:(Globoespote.com)

Então, como analisar o jogo de futebol?

A importância do olhar sistêmico

Para analisar o jogo de futebol, você deve se atentar primeiramente para um olhar sistêmico, pois, devido a complexidade do jogo, não é possível realizar uma análise com base em seus fragmentos. Afinal, os jogadores interagem uns com os outros há todo momento de diferentes formas e em diferentes zonas de jogo, com comportamentos modelados pelas convicções da sua equipe.

Em síntese, compreenda o que pode ter influência direta na ação, veja o todo com base nas partes e as partes com base no todo.

Identifique padrões de comportamento

Primeiramente podemos falar sobre análises quantitativas e qualitativas. Com a quantitativa apresentando a frequência das ações, e a qualitativa qualidade destas ações. A primeira mais objetiva e a outra com grande tom subjetivo. Mas, no fim das contas, buscamos por algo que identifique os padrões de comportamentos.

Planejamento e olho treinado

É importante frisar que analisar o jogo de Futebol não é fácil, requer, além do óbvio conhecimento do mesmo, planejamento e um “olho treinado”. O planejamento é necessário para saber o que se busca com a análise, estabelecendo parâmetros referenciais e criando um protocolo. Já o olho treinado, obtido através do estudo dos jogos, serve para reduzir o tempo gasto na identificação de padrões.

Analisar o jogo em toda sua complexidade

Estude o jogo, veja muitos jogos com o objetivo de identificar padrões, faça cursos, leia publicações, assista palestras e participe de eventos sobre o esporte. Portanto, sempre busque conhecimento.

Na sequência, com a segurança de já possuir o conhecimento para começar, crie protocolos para que você saiba quais padrões identificar durante cada momento do jogo. O que de fato você quer saber?


“o jogo diz-nos tudo… o que lhe soubermos perguntar!” (Júlio Garganta)
  • Em Organização Ofensiva: Busca chegar rapidamente as zonas de finalização ou circula mais a bola?
  • Em Transição Defensiva: Como se comporta quando perde a bola? Perde e pressiona ou retarda para entrar rapidamente em Organização Defensiva?
  • Em Organização Defensiva: Qual altura do seu bloco de marcação?
  • Em Transição Ofensiva: Como se comporta quando recupera a bola? Busca primeiro sair da pressão ou já aciona companheiros com bola longa?
  • Como se comporta nos lances de Bola Parada Ofensiva? Quais padrões apresenta?
  • Como se comporta nos lances de Bola Parada Defensiva? Quais padrões apresenta?

Pergunte ao jogo

De antemão tenha em mente o que você procura, faça as perguntas certas ao jogo e procure os porquês das respostas obtidas.

Seguindo essa mesma lógica, nunca se limite a uma análise superficial, com dados frios e informações descontextualizadas. Afinal, o Futebol é complexo e necessita ser tratado como tal. Erros e acertos podem ser subjetivos, pois além de sofrerem a influência de infinitas variáveis, são suscetíveis às propostas de jogo. Portanto contextualize cada ação, se aprofunde na análise.

  • O que aconteceu?
    • Quem participou?
      • Quando aconteceu?
        • Onde aconteceu?
          • Como aconteceu?
            • Por que aconteceu?

Do mesmo modo, utilize tudo que tenha à disposição. Há várias plataformas e softwares que fornecem excelentes informações e servem como ferramenta. Portanto, tudo que venha a enriquecer sua análise é válido, mas também não se perca em um calhamaço de páginas, seja direto. Enfim, transmita a melhor informação possível, da forma mais direta e didática possível.

Referências

Modelação tática do jogo de futebol – Júlio Garganta

Futebol e ciência. Ciência e futebol – Júlio Garganta

Abordagem sistêmica do jogo de futebol: moda ou necessidade? – Júlio Garganta e  Jean Francis Gréhaigne

Futebol – Análises qualitativas e quantitativas para verificação e modulação de padrões e sistemas complexos de jogo – Rodrigo Leitão


Contato do autor – Instagram: @ralazzarottop

Gostou dos conteúdos do Ciência da Bola? Deixe seu e-mail e lhe enviaremos mais.


Deixe seu comentário