Fale com nossa equipe

A motivação no futebol

Por: Matheus Padilha

Postado

-

Atualizado em

A motivação no futebol é um termo muito presente no citado esporte. Porém, o que é motivação ou estar motivado? É possível motivar um jogador? Ou como disse Muricy Ramalho certa vez: “A maior motivação é o salário depositado na conta no fim do mês” !?

Antes de tudo, é preciso entender do que estamos falando. O conceito de motivação, didaticamente explicando, é simples. A motivação pode ser definida como a direção e a intensidade dos nossos esforços. Em primeiro lugar, a direção do esforço refere-se ao fato de um indivíduo buscar, aproximar-se ou ser atraído por certas situações. Em segundo lugar, a intensidade do esforço refere-se a quanto esforço uma pessoa coloca em determinada situação para conseguir aquele objetivo

As três abordagens principais da motivação

Em conformidade com essa definição, pode-se compreender as três abordagens principais sobre a motivação:

A visão centrada no traço:

A visão centrada no traço (também chamada de visão centrada no participante) afirma que o comportamento motivado se dá, principalmente, em função de características individuais. Ou seja, a personalidade, as necessidades e os objetivos de um atleta são os determinantes principais do comportamento motivado. Em suma, a motivação está no atleta.

A visão centrada na situação:

Em contraste direto com a visão centrada no traço, a visão centrada na situação afirma que o nível de motivação é determinado principalmente pela situação.

A visão interacionista:

A visão de motivação mais aceita hoje em dia por psicólogos do esporte e do exercício é a visão interacional entre indivíduo–situação. Para resumir, é uma abordagem que leva em considerações fatores da personalidade e do ambiente.

Diretrizes para desenvolver a motivação

De maneira resumida, a motivação possui componentes relacionados ao atleta e outros relacionados à tarefa. Entretanto, existem várias maneiras de desenvolver a motivação visando ambos domínios. Alguns exemplos estão dispostos a seguir.

Enquanto treinador/membro da comissão:

Levar em consideração que tanto as situações como os traços motivam as pessoas. Isto é, existem jogadores mais ou menos motivados intrinsecamente do que outros, bem como existem jogos ou competições mais motivadoras do que outras.

Entender que as pessoas têm vários motivos para fazer algo. Isso significa que cada atleta tem seus motivos para ser jogador profissional, tem seus objetivos de carreira, suas metas. Nesse sentido, cabe aos membros da comissão compreenderem e usarem isso a favor na questão motivacional.

Alterar o ambiente para aumentar a motivação. Existem várias formas de criar competitividade ou união dentro de um grupo de jogadores. Portanto, é necessário ajustar o ambiente para aumentar a motivação de maneira geral.

Dar incentivo à motivação. Em outras palavras, é servir de exemplo e manter-se motivado. Isso porque é comum que grupos de pessoas que convivem percebam alterações no estado emocional de algum dos integrantes. Caso a própria comissão não esteja motivada, isso pode acabar reverberando no grupo de atletas.

Enquanto atleta:

Fonte: mercadodofutebol.com

Buscar compreender os aspectos que o motivam à tarefa. Em alguns casos é fundamental acompanhamento com profissional da Psicologia através do treinamento de habilidades psicológicas (THP). Porém, alguns atletas já possuem um bom autoconhecimento, conseguindo se motivar com mais facilidade.

Buscar uma orientação à tarefa e não ao resultado. A orientação à tarefa mais frequentemente do que a orientação ao resultado, pode levar a uma forte ética de trabalho, à persistência em face de fracasso e à excelência no desempenho. Essa orientação pode proteger o atleta contra decepções, frustrações e falta de motivação quando os outros superarem seu desempenho. Explicando: uma orientação ao resultado é quando o atleta tem como foco a comparação do seu desempenho com o dos outros. Em contrapartida, uma orientação à tarefa tem como foco a comparação do desempenho com padrões e aperfeiçoamento pessoais.

A fim de aumentar a motivação no futebol, é necessário observar e responder não somente à personalidade do jogador, mas também à interação entre características pessoais e a situação. Visto que as motivações podem mudar com o tempo, devemos continuar acompanhando a motivação dos atletas constantemente.

A complexidade da motivação no futebol

A motivação no futebol, portanto, tem uma maior complexidade do que apenas “receber em dia”. Ao passo que lembramos que os atletas e outros atuantes do futebol são seres humanos, conseguimos perceber que nada é tão simples. A manutenção da motivação cria condições para um melhor desempenho e saúde mental no esporte. Como resultado, ela ajuda a manter os níveis de concentração, a reduzir o estresse da rotina de jogos, diminuir a ansiedade, dentre outros aspectos positivos.

Em conclusão, a motivação no futebol não se resume a vídeos ou bilhetes enviados aos jogadores na véspera dos jogos, nem às lições de vida bradadas por atletas nas preleções. Ela vai muito além disso. E, caso seja bem trabalhada, pode mudar o “patamar” de uma equipe.


Escute nosso podcast com o treinador Jair Ventura.

Contato do Autor:
Matheus Padilha Abrantes Reis
@28padilha
matheuspadilhaar@gmail.com

Referências:

Fundamentos da Psicologia do Esporte e do Exercício.

Curso de Psicologia do Futebol

Foto de capa: spfc.net

Receba nossa Newsletter

Gostou dos conteúdos do Ciência da Bola? Deixe seu e-mail e te enviaremos mais.