Fale com nossa equipe

O fisiologista do esporte no futebol

Por: Diego Augusto

Postado

-

Atualizado em

Primeiramente, o papel do fisiologista do esporte no meio do futebol é cada vez mais importante. Isso é reflexo das últimas décadas, onde as exigências das demandas físicas, técnicas, táticas e psicológicas no futebol têm sofrido acréscimos acentuados. Como resultado a esse aumento de exigências, também houve alterações significativas no volume de treinamento, ou seja, as cargas de treinos e jogos expõem os atletas a níveis elevados de estresse físico e emocional.

Da mesma forma que a modalidade se desenvolveu, surgiu a necessidade de controlar as cargas de treino e jogos referente às diferentes demandas. Além disso, a avaliação das necessidades individuais dos atletas também se tornou necessário. Assim, essas atribuições precisam ser realizadas por um profissional capacitado, o qual é denominado fisiologista do esporte ou Sport Science.

Neste texto iremos discutir quais são as funções de um fisiologista dentro da comissão técnica de futebol.

Qual a função do fisiologista do esporte no futebol?

A ciência usada na melhoria da performance e da recuperação dos atletas vem sendo tema de discussão no futebol moderno. Assim sendo, o fisiologista do esporte é o profissional responsável por aplicar os conhecimentos científicos nos processos de avaliação, controle, monitoramento e recuperação na pré-temporada e durante o período de jogos.

O fisiologista do esporte, de modo geral, possui duas principais funções: melhorar o desempenho e reduzir as chances de lesões nos atletas. Mas, como realizar essas funções?

Primeiramente, ao se apresentarem na pré-temporada, os atletas de futebol realizam diferentes avaliações físicas. Então, o profissional responsável pelo setor de fisiologia do clube gera um perfil do atleta, destacando as principais valências físicas que devem ser potencializadas durante o período de preparação, além de observar prováveis debilidades físicas dos atletas.

As avaliações físicas possuem diferentes características, por exemplo:

  • Capacidade de salto;
  • Teste de força no aparelho isocinético;
  • Sprint em linha reta (10, 20, 30 metros);
  • Sprint com curva;
  • Mudança de direção;
  • Resistência cardiorrespiratória.

Em um segundo momento, durante o período de treinos, o fisiologista é responsável por realizar a quantificação, monitoramento e controle das cargas que são prescritas pelos treinadores e preparadores físicos.

Ainda nesse sentido, para realizar esse controle de cargas são utilizados diferentes aparatos e a quantificação da carga é realizada utilizando marcadores de carga interna (marcadores bioquímicos, percepção de esforço, variabilidade da frequência cardíaca) e externa (distância percorrida, ações intensas, acelerações e desacelerações). Na imagem abaixo podemos observar um fisiologista realizando a coleta de sangue do dedo para análise de marcadores sanguíneos.

Imagem 1. Coleta de sangue do dedo para análise de marcadores sanguíneos.

Competências e habilidades necessárias para um fisiologista

O profissional da fisiologia precisa possuir diferentes competências e conhecimentos. Em primeiro lugar, ele precisa ter de forma bem clara os conceitos atrelados a fisiologia do exercício que envolve a modalidade em questão. Em segundo lugar, é necessário ter habilidades que se referem à criação de bases de dados, podendo municiar as tomadas de decisões dos treinadores. E por fim, porém, não menos importante, é a capacidade de trabalho em equipe. Na comissão técnica o trabalho multidisciplinar é de extrema importância, pois os profissionais poderão tomar decisões baseadas em diferentes áreas do futebol. Na imagem abaixo podemos observar um organograma que se refere às funções do profissional fisiologista.

Imagem 2. Organograma de atuação do fisiologista desportivo em um clube de futebol
Fonte: Santos Silva, P.R. O papel do fisiologista no futebol – Para quê & e por quê? Rev. Bras Med Esporte Vol. 6, nº4 – Jul / Ago.2000.

Como resultado, o fisiologista deve municiar os treinadores com informações sobre o estado dos atletas, realizando coleta de dados e um acompanhamento longitudinal, o que envolve avaliação, treinamentos e jogos, para poder potencializar o processo de treinamento aplicando metodologias científicas.


Contato do autor:
E-mail: diegoaugustoufs@gmail.com
Instagram: @augustsdiego


Referência:

  • Santos Silva, P.R. O papel do fisiologista no futebol – Para quê & e por quê? Rev. Bras Med Esporte Vol. 6, nº4 – Jul / Ago.2000.

Foto de capa
Fonte: cbf.com.br

Receba nossa Newsletter

Gostou dos conteúdos do Ciência da Bola? Deixe seu e-mail e te enviaremos mais.